WhatsApp-Image-2020-12-12-at-13.28.07-76

Cláudia Dornelles

Lido com Psicanálise desde 1993.Não tenho a menor dúvida de que não teria o mesmo arcabouço emocional se não a tivesse encontrado muito cedo. E, certamente, não teria tido as conquistas que tive e tenho sem que a reeducação emocional tivesse feito parte da minha história. Não sei se a Análise é o melhor caminho, mas garanto que é o melhor que conheço, por ser ela a que torna os fantasmas menos aflitivos – a Psicanálise chama todos eles para uma conversa franca e direta, e isso é libertador. Literalmente: liberta a dor. Como sempre digo à aspirantes a analistas, entendo que o analista se faz, primeiro, no divã. E isso explica o número de pessoas que, mesmo com conhecimento teórico, não se sentem prontas a atender. Pode parecer presunçoso, mas confio mais em quem se propõe a analisar já tendo experimentado a posição de analisante por tempo razoável. A meu sentir é somente assim que se pode compreender a posição daquele sujeito aflito que busca o analista. O Processo de Análise não precisa ser doloroso, embora às vezes seja, porque mexe com padrões internalizados durante uma vida inteira. O Processo de Análise – aí sim – pode e deve ser transformador. Literalmente: que transforme a dor.

 

Mas, afinal, para quem a Análise serve?

Para todo aquele que sinta um desencaixe, uma inaptidão, uma sensação de buscar seu lugar no mundo por se sentir desconfortável na própria pele.

 

A Análise é sempre um processo muito demorado?

Nem sempre.

 

Cada dia mais se pratica a Psicanálise voltada para o homem do século XXI. Esse sujeito que não tem o tempo daqueles pacientes que buscaram Freud em 1900.  Num mundo muito mais rápido não se pode desprezar o senso de urgência que nos acomete, nem por causa dele simplificar a Análise de maneira que ela se torne muleta, ao invés de independência emocional.

 

O sujeito que faz Análise se torna uma outra pessoa?

 

O objetivo é que ele se torne uma pessoa cujos fantasmas não sejam mais os protagonistas da sua vida e, portanto, não propiciem padrões repetitivos que fazem sempre que o indivíduo caia nos mesmos buracos. A Análise te oferece novas rotas e novos roteiros. Basta se colocar à serviço de si mesmo e autorizar-se a sair da zona de desconforto paralisante.

Psicanalista Clínica

Membro Instituto Brasileiro de Psicanálise Clínica

DEPOIMENTOS

Carla, 32 anos, Diretora Escolar | MG

Ana Elizabeth, 51, Administradora | BH

“A mente que se abre para novos conceitos jamais voltará ao seu tamanho original”. Albert Einstein
 

E, de repente estava participando da jornada da superação e foi um desses presentes que a vida traz, foi precioso! Aprendi a me conhecer melhor, sair da zona de conforto e enxergar que realmente é possível tirar a ideia do papel, adorei!

 

Reconhecer não só as palavras: empatia, humildade, autoconhecimento e autocontrole, mas aprender a colocá-las em prática no meu dia a dia, faz com que eu me sinta uma pessoa melhor. O essencial é que saiba que a minha vida mudou, está mudando e para melhor!

 

Só tenho a agradecer e a aprender! Um abraço bem forte de gratidão!

Participar da Jornada foi e ainda está sendo uma das experiências mais surpreendentes que já vivi e estou vivendo, pois ainda colho os frutos de tudo que aprendi. E com certeza, levarei pra sempre.
 

O convívio e a troca de amor, carinho e confidências, que aconteceram entre as mulheres do grupo, só contribuiu pra essa experiência ser ainda mais grandiosa, pois acima de tudo sempre existiu o respeito com a história uma da outra.

 

Mulheres que nunca se viram demonstrando uma sensibilidade, um amor, uma solidariedade que eu
não imaginei que virtualmente isso poderia acontecer.

Ana, 34 anos, Professora | SP

Minhas experiências com as Jornadas até o momento... incomparáveis!
 

Turbilhão de sentimentos, sensações, pensamentos...
 

Palavras que te confortam, te apoiam, te jogam para cima, te fazem olhar pro espelho,
para você, em você...

 

E de repente você enxerga que não está sozinha, e sim rodeada de mulheres que querem se libertar tanto quanto você!
Não canso de repetir... hoje sou minha melhor versão!

 

DEPOIMENTOS

Carla, 32 anos, Diretora Escolar | MG

Ana Elizabeth, 51, Administradora | BH

“A mente que se abre para novos conceitos jamais voltará ao seu tamanho original”. Albert Einstein
 

E, de repente estava participando da jornada da superação e foi um desses presentes que a vida traz, foi precioso! Aprendi a me conhecer melhor, sair da zona de conforto e enxergar que realmente é possível tirar a ideia do papel, adorei!

 

Reconhecer não só as palavras: empatia, humildade, autoconhecimento e autocontrole, mas aprender a colocá-las em prática no meu dia a dia, faz com que eu me sinta uma pessoa melhor. O essencial é que saiba que a minha vida mudou, está mudando e para melhor!

 

Só tenho a agradecer e a aprender! Um abraço bem forte de gratidão!

Participar da Jornada foi e ainda está sendo uma das experiências mais surpreendentes que já vivi e estou vivendo, pois ainda colho os frutos de tudo que aprendi. E com certeza, levarei pra sempre.
 

O convívio e a troca de amor, carinho e confidências, que aconteceram entre as mulheres do grupo, só contribuiu pra essa experiência ser ainda mais grandiosa, pois acima de tudo sempre existiu o respeito com a história uma da outra.

 

Mulheres que nunca se viram demonstrando uma sensibilidade, um amor, uma solidariedade que eu
não imaginei que virtualmente isso poderia acontecer.

Ana, 34 anos, Professora | SP

Minhas experiências com as Jornadas até o momento... incomparáveis!
 

Turbilhão de sentimentos, sensações, pensamentos...
 

Palavras que te confortam, te apoiam, te jogam para cima, te fazem olhar pro espelho,
para você, em você...

 

E de repente você enxerga que não está sozinha, e sim rodeada de mulheres que querem se libertar tanto quanto você!
Não canso de repetir... hoje sou minha melhor versão!

 

Elizabeth, 53 anos, Empresária | MG

Posso dizer que participar da Jornada está complementando com excelência o que eu venho buscando em questão de autodesenvolvimento.
 

Com certeza a estrada é longa pois o aprendizado é constante, estarei aprendendo
durante a minha vida toda.

 

Mas aqui encontrei um olhar diferente, a Cláudia Dornelles e a equipe Alma no Varal, realizam um trabalho sério, comprometido, amoroso e acolhedor, criando assim um vínculo muito forte de confiança e amizade. Foi um presente esse encontro.